Anxiety and depression are two mental syndromes considered the illnesses of the 21st century. In Brazil, the World Health Organization points out that 5.8% of the population suffers from Depression and 9.3% have some degree of anxiety, placing our country first in Latin America in number of cases.

Conventional treatment for these diseases involves psychological and psychiatric follow-up, usually with the use of antidepressant and anxiolytic drugs. In addition, changing eating habits and practicing physical activities are highly recommended.

But, did you know that there is already research and some cases of cannabidiol use for anxiety and depression? The study, Progress in Neuro-Psychopharmacology and Biological Psychiatry, for example, pointed out that the use of cannabidiol combined with the use of inhibitory antidepressants, such as fluoxetine, brought effective results in the treatment.

herefore, the purpose of this article is to give you more details of this alternative treatment and show how CBD interacts with the brain to improve symptoms.

Relation between anxiety and depression

Before starting to explain the use of cannabidiol for anxiety and depression, it is necessary to talk a little about the relationship between these two diseases. Even though it is a matter of knowledge among physicians, it is important to understand how CBD treatment works.

Well, anxiety is a natural effect of human beings and helps us to solve problems when we are in dangerous situations that we need to escape, for example. However, this feeling can become something pathological and cause serious problems for those who feel them. These cases happen when the symptoms are not related to any specific reason and prevent the person from following their routine normally.

Depression, on the other hand, is when we feel deeply sad and with low self-esteem. It is important to emphasize that sadness is not considered a pathology and can be generated by the death of someone in the family, the end of a relationship or the loss of a job.

However, in depressive disorders sorrow is deep and the person can not get rid of this feeling. In some cases, indeed, it is a disorder characterized in the brain, caused by a chemical reaction. This process causes neurotransmitters such as serotonin and dopamine to drop out of production, which aggravates symptoms.

Mental triggers

They are two mental illnesses that can go together and, in many cases, one is a result of the other. For example, if a patient has an anxiety disorder and is left untreated for a long period, they may develop a depressive condition.

One explanation for this relationship is the mental triggers that our brain develops. For example, depressive disorders can be stimulated by negative thoughts, typical of those who have anxiety. Or, someone who suffers from depression and has no desire to leave the house or bedroom, for example, may develop anxiety from this.

Now that we understand the relationship between the two pathologies, let’s talk about how cannabidiol can help in these cases?

First, what is cannabidiol and how does it work

Cannabidiol – or CBD, is a cannabinoid extracted from Cannabis Sativa and is used to treat pain, inflammation, neurological and psychiatric problems, as it acts on the central nervous system.

Diseases where cannabidiol can be used

  • Below is the list of pathologies in which cannabidiol has acted:
  • anxiety and depression;
  • alzheimer;
  • fibromyalgia;
  • autism;
  • parkinson;
  • asthma;
  • epilepsy.

CBD for depression

Cannabidiol is linked to mood regulation. Therefore, it works to correct a dysfunction in the endocannabinoid system. Therefore, endocannabinoids correct the response of neurotransmitters and regulate dopamine and serotonin, and help to restore the feeling of well-being with an antidepressant effect.

Another point studied is the role of CBD in inducing neuroplastic alterations in the prefrontal cortex, showing its therapeutic efficacy when acting on structures involved in the development of depression.

Depression in Covid-19 Times

China was the first country to suffer from the effects of the Covid-19 pandemic. In addition to looking for solutions to fight the virus, the Chinese also increased their search for improvements in psychological treatment. That’s because, research published in March 2020, showed that the country was also affected by a mental health crisis in this period.

Among the 1,563 health professionals who took part in the study, 50.7% reported depressive symptoms, 44.7% anxiety and 36.1% sleep disturbances.

In this sense, as the treatment with the use of cannabidiol has shown a faster effect and with fewer side effects, it becomes a good possibility for patients diagnosed with depression.

Cannabidiol for anxiety

The cannabidiol use of research for anxiety are still at the beginning, but it is clear that the anxiolytic effects of CBD are the result of their interactions in the brain, with the CB1 receptor and the 5-HT1ARs.

This image has an empty alt attribute; its file name is UZb_xJ7uveV6Ps1CG-0Tebyahk21hXxSz8nZIVepTW-LarNYaK8VlsAVAyWWQQXszWOAlD5dEAYul2KV-7Gp2DkVOkhFHb5Qz3IguV36cNJGkTXj4NS6nqjilxj5VFjaO2QahSQp

CBD, like other anxiety drugs, interacts specifically with 5-HT1As, or serotonin receptors, responsible for mood and feelings of happiness.

Traditional medicines make this link to lessen the effects of anxiety, which therefore emphasizes the thesis that cannabidiol is effective for those suffering from anxiety disorder.

In addition, other studies point to the same results, but analyzing the interaction of CBD with the brain’s GABA receptors, this time causing a calming effect during stressful situations, through the reduction of brain activities.

Anxiety levels rise in quarantine

According to research carried out by the Institute of Psychology of the State University of Rio de Janeiro (UERJ), there was an 80% increase in the level of anxiety among Brazilians during the pandemic.

Among the factors pointed out by the study are poor diet, pre-existing illnesses, sedentary lifestyle and lack of psychological support. Research has also shown that women are more likely to develop anxiety disorder during isolation.

After all, is cannabidiol treatment for anxiety and depression safe?

Studies, surveys and patient reports have increasingly shown that the use of Cannabidiol for anxiety and depression has good efficacy. However, it is important to remember that it is necessary to make the treatment with products of good origin, and that they respect Anvisa’s guidelines. We know that the manipulation of CBD interferes with the effectiveness of the treatment, so it is important to guide your patient in the best way, so that he can have the expected effect with the treatment.

herefore, it is important to count on the help of companies specialized in the import of cannabidiol such as EASE LABS. Our team monitors the entire process, from importation to delivery of the drug to the patient’s home. Want to know more about how we can help your patient? Get in touch with us and let’s talk.

Canabidiol para ansiedade e depressão: como funciona o tratamento, resultados, pesquisas e efeitos colaterais

A ansiedade e depressão são duas síndromes mentais consideradas as doenças do século XXI. No Brasil, a Organização Mundial da Saúde aponta que 5,8% da população sofre de Depressão e 9,3% têm algum grau de ansiedade, colando o nosso país em primeiro na américa latina em números de casos.

O tratamento convencional para estas doenças envolve o acompanhamento psicológico e psiquiátrico, geralmente com uso de medicamentos antidepressivos e ansiolíticos. Além disso, a mudança de hábitos alimentares e a prática de atividades físicas são bastante recomendados.

Mas, você sabia que já existem pesquisas e alguns casos de uso do canabidiol para ansiedade e depressão? O estudo, Progress in Neuro-Psychopharmacology and Biological Psychiatry, por exemplo, apontou que o uso do canabidiol aliado ao uso de antidepressivos inibidores, como a fluoxetina, trouxe resultados eficazes no tratamento. 

Por isso, o objetivo desse artigo é te dar mais detalhes dessa alternativa de tratamento e mostrar como o CBD interage com o cérebro para melhorar os sintomas.

Relação entre ansiedade e depressão

Antes de começar a te explicar o uso do canabidiol para ansiedade e depressão, é preciso falar um pouco da relação entre estas duas doenças. Mesmo que seja um assunto de conhecimento entre os médicos, ele é importante para entender como o tratamento de CBD funciona. 

Bom, a ansiedade é um efeito natural do ser humano e nos ajuda a resolver problemas quando estamos em situações de perigo que precisamos fugir, por exemplo. No entanto, esse sentimento pode tornar algo patológico e trazer problemas sérios para quem os sente. Estes casos acontecem quando os sintomas não estão relacionados a nenhum motivo específico e impedem que a pessoa siga sua rotina normalmente

Já a depressão, é quando nos sentimos profundamente tristes e com baixa autoestima. É importante ressaltar que a tristeza não é considerada uma patologia e pode ser gerada pela morte de alguém da família, o término de um relacionamento ou a perda do emprego.

Porém, nos quadros depressivos a tristeza é profunda e a pessoa não consegue se ver livre deste sentimento. Em alguns casos, inclusive, é caracterizado um distúrbio no cérebro, causado por uma reação química. Esse processo faz com que neurotransmissores como a serotonina e a dopamina caiam de produção, o que agrava os sintomas.

Gatilhos mentais

Elas são duas doenças mentais que podem andar juntas e, em muitos casos, uma é resultado da outra. Por exemplo, caso um paciente tenha transtorno de ansiedade e fique sem tratamento por um longo período, pode desenvolver um quadro depressivo.

Uma explicação para esta relação está nos gatilhos mentais que o nosso cérebro desenvolve. Por exemplo, os quadros depressivos podem ser estimulados por pensamentos negativos, típicos de quem tem ansiedade. Ou então, quem sofre com a depressão e não tem desejo de sair de casa ou do quarto, por exemplo, pode desenvolver um quadro de ansiedade a partir disso.

Agora que entendemos a relação entre as duas patologias, vamos conversar sobre como o canabidiol pode ajudar nestes casos?

Primeiramente, o que é o canabidiol e como ele funciona

O Canabidiol — ou CBD, é um canabinóide extraído da Cannabis Sativa e é utilizado para tratamento de dores, inflamações, problemas neurológicos e psiquiátricos, por atuar no sistema nervoso central.

Doenças em que pode ser utilizado o canabidiol

Abaixo a lista de patologias nas quais o canabidiol tem atuado:

  • ansiedade e depressão;
  • alzheimer;
  • fibromialgia;
  • autismo;
  • parkinson;
  • asma;
  • epilepsia.

CBD para a depressão

O Canabidiol está ligado à regulação do humor. Sendo assim, ele atua na correção de uma disfunção no sistema endocanabinoide. Sendo assim, os endocanabinoides corrigem a resposta dos neurotransmissores e regulam a dopamina e a serotonina e auxiliam, portanto, a volta da sensação de bem-estar com um efeito antidepressivo. 

Outro ponto estudado é a atuação do CBD na indução de alterações neuroplásticas do córtex pré-frontal, mostrando sua eficácia terapêutica, quando atuam em estruturas envolvidas no desenvolvimento da depressão.

Depressão em tempos de Covid-19

A china foi o primeiro país a sofrer com os efeitos da pandemia de Covid-19. Além de procurar soluções para o combate ao vírus, os chineses aumentaram também a busca por melhorias no tratamento psicológico. Isso porque, pesquisa publicada em março de 2020, mostrou que o país também foi afetado por uma crise de saúde mental neste período.

Entre os 1.563 profissionais de saúde que fizeram parte do estudo, 50,7%  relataram sintomas depressivos, 44,7% ansiedade e 36,1% distúrbios do sono.

Nesse sentido, como o tratamento com o uso do canabidiol tem mostrado efeito mais rápido e com menos efeitos colaterais, ele passa a ser uma boa possibilidade para pacientes diagnosticados com depressão. 

Canabidiol para ansiedade

As pesquisas do uso do canabidiol para a ansiedade ainda estão no começo, porém percebe-se que os efeitos ansiolíticos do CBD são frutos das suas interações no cérebro, com o receptor CB1 e os 5-HT1ARs.

O CBD, assim, como outras drogas para ansiedade, faz a interação especificamente com os 5-HT1As, ou receptores de serotonina, responsável pelo humor e sentimentos de felicidade. 

Os medicamentos tradicionais fazem essa ligação para diminuir os efeitos da ansiedade, o que, portanto, enfatiza a tese de que o canabidiol é eficaz para quem sofre com o transtorno de ansiedade.

Além disso, outros estudos apontam os mesmos resultados, porém analisando a interação do CBD com os receptores GABA do cérebro, desta vez causando um efeito calmante durante situações estressantes, por meio da diminuição das atividades do cérebro. 

Níveis de ansiedade aumentam na quarentena

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Psicologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), houve aumento de 80% no nível de ansiedade nos brasileiros durante a pandemia. 

Entre os fatores apontados pelo estudo estão a má alimentação, doenças pré-existentes, sedentarismo e falta de acompanhamento psicológico. A pesquisa mostrou ainda que as mulheres têm maiores chances de desenvolver o transtorno de ansiedade durante o isolamento social.

Afinal, o tratamento com canabidiol para ansiedade e depressão é seguro?

Os estudos, pesquisas e relatos de pacientes tem mostrado cada vez mais que o uso do Canabidiol para ansiedade e depressão tem  boa eficácia. Contudo, é importante lembrar que é preciso fazer o tratamento com produtos de boa procedência, e que respeitem as orientações da Anvisa. Sabemos que a manipulação do CBD interfere na eficácia do tratamento, por isso, é importante orientar o seu paciente da melhor maneira, para que ele consiga ter o efeito esperado com o tratamento.

Por isso, é importante contar com a ajuda de empresas especializadas na importação de canabidiol como a EASE LABS. A nossa equipe acompanha todo o processo, de importação até a entrega do medicamento na casa do paciente. Quer saber mais como podemos ajudar seu paciente? Entre em contato conosco e vamos conversar.