Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1% da população mundial com idade acima dos 65 anos sofre com o Mal de Parkinson. No Brasil, a estimativa é de que mais de 200 mil pessoas sofram com esta doença.

Na grande maioria dos pacientes, os sintomas começam a aparecer a partir dos 50 anos de idade. Sendo que a maior parcela das pessoas que possuem o Mal de Parkinson é de idosos com mais de 70 anos.

Por se tratar de uma doença com causas não definidas, ainda não existe uma cura. Os tratamentos existentes têm o intuito de controlar os sintomas e proporcionar uma maior qualidade de vida para esses pacientes.

O uso canabidiol para tratamento de doenças tem ganhado bastante força em todo mundo já a algum tempo, isso inclusive no tratamento para o Mal de Parkinson.

Neste artigo, vamos te explicar melhor o que é o Mal de Parkinson e vamos falar também sobre os efeitos do uso do canabidiol para Mal de Parkinson. Continue a leitura e confira.

Afinal de contas, o que é o Mal de Parkinson?

O Mal de Parkinson é uma doença neurológica progressiva e crônica, que está associada à morte precoce de neurônios e consequentemente à redução da produção de dopamina, que é um neurotransmissor que envia mensagens para partes do cérebro que controlam a coordenação e os movimentos.

Embora a causa do Parkinson ainda permaneça desconhecida, a genética e fatores ambientais têm papel no desenvolvimento da doença. Pacientes que têm parentes próximos com Parkinson têm maiores  chances de desenvolver a doença e a exposição a tóxicos, como por exemplo os pesticidas, também podem acabar aumentando consideravelmente os riscos.

O processo degenerativo citado ocorre em decorrência da morte de neurônios dopaminérgicos em determinadas regiões cerebrais. No entanto, a principal região afetada é a substância negra, que é a responsável pela produção de dopamina.

A dopamina está diretamente relacionada a processos muito importantes, como por exemplo o de aprendizado, emoções, humor, cognição, movimentos, memória, etc. Atuando assim em diversas funções essenciais no organismo. O que acontece é a perda dessas funções com a falta desse neurotransmissor.

Sintomas

Como a grande maioria das pessoas já sabem, os tremores são os sintomas mais comuns e mais conhecidos do Mal de Parkinson, mas saiba que eles não são os únicos sintomas. Além deles, os pacientes podem apresentar:

  • bradicinesia – movimentos lentos em atividades cotidianas;
  • rigidez muscular;
  • constipação;
  • incontinência urinária;
  • perda de expressão facial;
  • dificuldade para caminhar;
  • alteração na fala;
  • voz baixa;
  • perda olfativa;
  • aumento da salivação;
  • visão embaçada;
  • entre outros.

Em situações isoladas, também é possível que ocorram casos de psicose, isso em decorrência de um prejuízo sério das faculdades mentais e emocionais que ocasiona na perda de contato com a realidade.

O que é o canabidiol?

O canabidiol (CBD) é uma substância canabinoide existente na folha da Cannabis Sativa que, de acordo com pesquisadores, não causa efeitos psicoativos ou dependência. A substância tem uma estrutura química com um grande potencial neurológico e terapêutico, ela dispõe de uma ação ansiolítica, diminuindo assim a ansiedade. O canabidiol também tem ação neuroprotetora, antipsicótica, anti-inflamatória, antioxidantes, age de forma positiva no tratamento para distúrbios de sono, entre outras coisas.

Neste conteúdo do nosso site você encontra tudo sobre o que é o canabidiol e quais doenças ele é eficaz. Vale a pena a leitura. 

Tratamento com canabidiol para Mal de Parkinson

É possível notar através de estudos que pacientes que sofrem com o Mal de Parkinson, que utilizam o canabidiol como alternativa, vem apresentando cada vez mais sucesso no tratamento e no controle dos sintomas da doença. Pesquisas apontam uma característica neuroprotetora no canabidiol, que também dispõe de propriedades que podem auxiliar no restabelecimento da função neural.

O tratamento com o uso do canabidiol para Mal de Parkinson também pode reduzir os sintomas psicóticos daqueles pacientes que desenvolvem esse problema. Isso sem comprometer sua função motora, cognitiva ou causar efeitos adversos.

Segundo estudo do professor José Alexandre Crippa, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP), um grupo de voluntários que sofre com o Mal de Parkinson que ingeriu cápsulas contendo canabidiol, apresentou melhoras consideráveis no bem-estar e qualidade de vida.

Outro canabinoide importante encontrado na cannabis é o THC (tetraidrocanabinol). Pesquisadores também descobriram evidências de que essa substância também pode auxiliar no tratamento do Mal de Parkinson, pois ela ajuda na prevenção de danos causados aos neurônios por radicais livres e ativa um receptor que estimula a formação de novas mitocôndrias.

Entenda agora como a cannabis age no cérebro:]

Existem possíveis efeitos colaterais?

Você também pode ver aqui no blog um conteúdo completo sobre os efeitos colaterais do CBD. Mas entre os principais estão o cansaço, tontura, taquicardia, hipotensão ortostática, boca seca, lacrimejamento reduzido, relaxamento muscular e aumento do apetite. Lembre-se, os efeitos do canabidiol são diferentes em cada pessoa, busque se informar.

A utilização de canabinóides no tratamento para o Mal de Parkinson se torna uma alternativa bastante atrativa considerando que os medicamentos convencionais que se tem acesso utilizados para o controle dos sintomas podem acabar levando ao desenvolvimento ou agravar a discinesia como um possível efeito adverso.

Espero que este conteúdo tenha sido útil e que o funcionamento do CBD no tratamento do Mal de Parkinson tenha ficado mais claro para você. Caso tenha alguma dúvida ou queira saber mais sobre o uso do canabidiol para Mal de Parkinson? Clique aqui e entre em contato com a EASE LABS que vamos lhe dar todas as informações de que precisa.