According to the World Health Organization (WHO), about 1% of the population aged over 65 suffers from Parkinson’s disease. In Brazil, it is estimated that more than 200 thousand people suffer from this disease.

In most patients, symptoms begin to appear from 50 years of age. Since the largest share of people who have Parkinson’s disease is people over 70 years.

Because it is a disease with no defined causes, there is still no cure. Existing treatments aim to control symptoms and provide a better quality of life for these patients.

The use of cannabidiol for the treatment of diseases has been gaining strength around the world for some time now, including in the treatment of Parkinson’s disease.

In this article, we’ll explain you better what Parkinson’s is and we’ll also talk about the effects of using cannabidiol for Parkinson’s Disease. Read on and check it out.

After all, what is Parkinson’s Disease?

Parkinson’s disease is a chronic, progressive neurological disease that is associated with the early death of neurons and consequently the reduction in the production of dopamine, which is a neurotransmitter that sends messages to parts of the brain that control coordination and movement.

Although the cause of Parkinson’s remains unknown, genetics and environmental factors play a role in the development of the disease. Patients who have close relatives with Parkinson’s are more likely to develop the disease and exposure to toxins, such as pesticides, can also end up increasing the risks considerably.

 The aforementioned degenerative process occurs as a result of the death of dopaminergic neurons in certain brain regions. However, the main affected region is the black substantia, which is responsible for the production of dopamine.

Dopamine is directly related to very important processes, such as learning, emotions, mood, cognition, movements, memory, etc. Thus acting in several essential functions in the body. What happens is the loss of these functions with the lack of this neurotransmitter.

Symptoms

As the vast majority of people already know, tremors are the most common and best known symptoms of Parkinson’s disease, but be aware that they are not the only symptoms. In addition to them, patients may present:

  • bradykinesia – slow movements in everyday activities;
  • muscle stiffness; cold; urinary incontinence;
  • loss of facial expression;
  • difficulty walking;
  • speech alteration;
  • low voice;
  • olfactory loss;
  • increased salivation;
  • blurry vision;
  • between others.

In isolated situations, it is also possible that cases of psychosis may occur, this as a result of a serious damage to the mental and emotional faculties that leads to the loss of contact with reality.

What is cannabidiol?

Cannabidiol (CBD) is a cannabinoid substance found in the Cannabis Sativa leaf that, according to researchers, does not cause psychoactive or addictive effects. The substance has a chemical structure with great neurological and therapeutic potential, it has an anxiolytic action, thus reducing anxiety. Cannabidiol also has neuroprotective, antipsychotic, anti-inflammatory, antioxidant action, acts positively in the treatment of sleep disorders, among other things.

In this content on our website you can find everything about what cannabidiol is and which diseases it is effective for. It is worth reading.

Cannabidiol Treatment for Parkinson’s Disease

It is possible to note through studies that patients suffering from Parkinson’s disease, who use cannabidiol as an alternative, have been increasingly successful in treating and controlling the symptoms of the disease. Researches point to a neuroprotective characteristic in cannabidiol, which also has properties that can help in the restoration of neural function.

Cannabidiol treatment for Parkinson’s disease can also reduce psychotic symptoms in those patients who develop this condition. This without compromising their motor, cognitive function or causing adverse effects.

According to a study by Professor José Alexandre Crippa, from the Faculty of Medicine of Ribeirão Preto (FMRP) of the University of São Paulo (USP), a group of volunteers suffering from Parkinson’s disease who ingested capsules containing cannabidiol, showed considerable improvements in health. living and quality of life.

Another important cannabinoid found in cannabis is THC (tetrahydrocannabinol). Researchers have also found evidence that this substance may also help in the treatment of Parkinson’s disease, as it helps prevent damage to neurons by free radicals and activates a receptor that stimulates the formation of new mitochondria.

Understand now how cannabis acts on the brain:

Are there any possible side effects?

You can also see full content here on the blog about CBD side effects. But among the main ones are tiredness, dizziness, tachycardia, orthostatic hypotension, dry mouth, reduced tearing, muscle relaxation and increased appetite. Remember, the effects of cannabidiol are different for each person, seek information.

The use of cannabinoids in the treatment of Parkinson’s disease becomes a very attractive alternative considering that the conventional drugs that are used to control symptoms can end up leading to the development or aggravation of dyskinesia as a possible adverse effect.

I hope this content was helpful and that how CBD works in the treatment of Parkinson’s Disease has become clearer to you. If you have any questions or want to know more about using cannabidiol for Parkinson’s disease? Click here and get in touch with EASE LABS and we will give you all the information you need.

Canabidiol para Mal de Parkinson: tudo que você precisa saber sobre

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1% da população mundial com idade acima dos 65 anos sofre com o Mal de Parkinson. No Brasil, a estimativa é de que mais de 200 mil pessoas sofram com esta doença.

Na grande maioria dos pacientes, os sintomas começam a aparecer a partir dos 50 anos de idade. Sendo que a maior parcela das pessoas que possuem o Mal de Parkinson é de idosos com mais de 70 anos.

Por se tratar de uma doença com causas não definidas, ainda não existe uma cura. Os tratamentos existentes têm o intuito de controlar os sintomas e proporcionar uma maior qualidade de vida para esses pacientes.

O uso canabidiol para tratamento de doenças tem ganhado bastante força em todo mundo já a algum tempo, isso inclusive no tratamento para o Mal de Parkinson.

Neste artigo, vamos te explicar melhor o que é o Mal de Parkinson e vamos falar também sobre os efeitos do uso do canabidiol para Mal de Parkinson. Continue a leitura e confira.

Afinal de contas, o que é o Mal de Parkinson?

O Mal de Parkinson é uma doença neurológica progressiva e crônica, que está associada à morte precoce de neurônios e consequentemente à redução da produção de dopamina, que é um neurotransmissor que envia mensagens para partes do cérebro que controlam a coordenação e os movimentos.

Embora a causa do Parkinson ainda permaneça desconhecida, a genética e fatores ambientais têm papel no desenvolvimento da doença. Pacientes que têm parentes próximos com Parkinson têm maiores  chances de desenvolver a doença e a exposição a tóxicos, como por exemplo os pesticidas, também podem acabar aumentando consideravelmente os riscos.

O processo degenerativo citado ocorre em decorrência da morte de neurônios dopaminérgicos em determinadas regiões cerebrais. No entanto, a principal região afetada é a substância negra, que é a responsável pela produção de dopamina.

A dopamina está diretamente relacionada a processos muito importantes, como por exemplo o de aprendizado, emoções, humor, cognição, movimentos, memória, etc. Atuando assim em diversas funções essenciais no organismo. O que acontece é a perda dessas funções com a falta desse neurotransmissor.

Sintomas

Como a grande maioria das pessoas já sabem, os tremores são os sintomas mais comuns e mais conhecidos do Mal de Parkinson, mas saiba que eles não são os únicos sintomas. Além deles, os pacientes podem apresentar:

  • bradicinesia – movimentos lentos em atividades cotidianas;
  • rigidez muscular;
  • constipação;
  • incontinência urinária;
  • perda de expressão facial;
  • dificuldade para caminhar;
  • alteração na fala;
  • voz baixa;
  • perda olfativa;
  • aumento da salivação;
  • visão embaçada;
  • entre outros.

Em situações isoladas, também é possível que ocorram casos de psicose, isso em decorrência de um prejuízo sério das faculdades mentais e emocionais que ocasiona na perda de contato com a realidade.

O que é o canabidiol?

O canabidiol (CBD) é uma substância canabinoide existente na folha da Cannabis Sativa que, de acordo com pesquisadores, não causa efeitos psicoativos ou dependência. A substância tem uma estrutura química com um grande potencial neurológico e terapêutico, ela dispõe de uma ação ansiolítica, diminuindo assim a ansiedade. O canabidiol também tem ação neuroprotetora, antipsicótica, anti-inflamatória, antioxidantes, age de forma positiva no tratamento para distúrbios de sono, entre outras coisas.

Neste conteúdo do nosso site você encontra tudo sobre o que é o canabidiol e quais doenças ele é eficaz. Vale a pena a leitura. 

Tratamento com canabidiol para Mal de Parkinson

É possível notar através de estudos que pacientes que sofrem com o Mal de Parkinson, que utilizam o canabidiol como alternativa, vem apresentando cada vez mais sucesso no tratamento e no controle dos sintomas da doença. Pesquisas apontam uma característica neuroprotetora no canabidiol, que também dispõe de propriedades que podem auxiliar no restabelecimento da função neural.

O tratamento com o uso do canabidiol para Mal de Parkinson também pode reduzir os sintomas psicóticos daqueles pacientes que desenvolvem esse problema. Isso sem comprometer sua função motora, cognitiva ou causar efeitos adversos.

Segundo estudo do professor José Alexandre Crippa, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP), um grupo de voluntários que sofre com o Mal de Parkinson que ingeriu cápsulas contendo canabidiol, apresentou melhoras consideráveis no bem-estar e qualidade de vida.

Outro canabinoide importante encontrado na cannabis é o THC (tetraidrocanabinol). Pesquisadores também descobriram evidências de que essa substância também pode auxiliar no tratamento do Mal de Parkinson, pois ela ajuda na prevenção de danos causados aos neurônios por radicais livres e ativa um receptor que estimula a formação de novas mitocôndrias.

Entenda agora como a cannabis age no cérebro:]

Existem possíveis efeitos colaterais?

Você também pode ver aqui no blog um conteúdo completo sobre os efeitos colaterais do CBD. Mas entre os principais estão o cansaço, tontura, taquicardia, hipotensão ortostática, boca seca, lacrimejamento reduzido, relaxamento muscular e aumento do apetite. Lembre-se, os efeitos do canabidiol são diferentes em cada pessoa, busque se informar.

A utilização de canabinóides no tratamento para o Mal de Parkinson se torna uma alternativa bastante atrativa considerando que os medicamentos convencionais que se tem acesso utilizados para o controle dos sintomas podem acabar levando ao desenvolvimento ou agravar a discinesia como um possível efeito adverso.

Espero que este conteúdo tenha sido útil e que o funcionamento do CBD no tratamento do Mal de Parkinson tenha ficado mais claro para você. Caso tenha alguma dúvida ou queira saber mais sobre o uso do canabidiol para Mal de Parkinson? Clique aqui e entre em contato com a EASE LABS que vamos lhe dar todas as informações de que precisa.