Os tratamentos com CBD para câncer estão se revelando como uma esperança aos pacientes que convivem com a doença.

Isso porque, a substância ajuda com os efeitos colaterais do tratamento, e tem sido estudada, também, como uma aliada para impedir a progressão da patologia.

O câncer é o principal problema de saúde pública em todo mundo: uma em cada cinco pessoas desenvolve a doença, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). 

O diagnóstico da doença pode assustar, principalmente pela ideia de sofrimento e dor relacionadas à enfermidade. Diante disso, o uso do canabidiol (CBD) está se popularizando como aliado aos tratamentos convencionais.

Embora ainda sejam necessários mais estudos científicos, muito já se sabe dos potenciais terapêuticos da medicação, sendo utilizado principalmente no controle de sintomas em pacientes oncológicos. 

No artigo de hoje, você vai entender melhor como o CBD atua no tratamento do câncer e os benefícios do óleo de canabidiol durante o tratamento. Então, avance na leitura e saiba mais. 

Como funciona o CBD no câncer?

Com benefícios terapêuticos significativos e com excelente perfil de segurança, o CBD é uma opção promissora para o paciente oncológico. 

Em pesquisas clínicas recentes, o uso dos produtos à base de Cannabis ajudaram no alívio de algumas sensações decorrentes do tratamento do câncer e, por isso, têm se mostrado ótimos aliados como terapia complementar. 

Estudo realizado pela Universidade de Londres apontou que os canabinóides tiveram sinergia adicional quando combinados com os agentes de quimioterapia.

Foram capazes também de sensibilizar as células de leucemia aos seus efeitos citotóxicos, que é a capacidade de destruir outras células através da liberação de substâncias nocivas.

Atualmente, é possível contar com a quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia como opções de intervenção médica para controle e cura da doença. No entanto, todas podem causar algum tipo de efeito colateral. Neste cenário, o canabidiol surge como uma alternativa natural que se destaca por suas propriedades terapêuticas. 

Especificamente no tratamento do câncer, os pacientes costumam apresentar uma  melhora na ansiedade, falta de apetite, dor, náusea e qualidade do sono.

O canabidiol colabora para a melhora do sono do paciente oncológico.

Isso acontece porque no corpo humano existe o Sistema Endocanabinóide (SE), responsável por manter nosso meio interno em equilíbrio (homeostase). Ao ser ingerido, o canabidiol viaja pelo sistema sanguíneo até chegar ao cérebro, onde ocorrem as interações por meio dos fitocanabinoides com os neurotransmissores compatíveis. 

Dessa forma, o CBD estimula os receptores canabinóides presentes nas células do sistema nervoso periférico, sistema imunológico e sistema nervoso central, auxiliando na regulação dos mesmos.

Além disso, ele pode aumentar a eficácia dos medicamentos tradicionais contra o câncer ao ativar o receptor TRPV2, que pode melhorar a resposta das células cancerígenas aos remédios e ajudar na redução da toxicidade do tratamento como um todo.

CBD cura o câncer?

Até então, não existe comprovação científica de que o CBD é capaz de curar o câncer. Pesquisas pré-clínicas, feitas em modelos animais e culturas celulares, demonstram efeitos antitumorais e anti metastáticas do canabidiol. No entanto, ainda é preciso explorar a possibilidade em pacientes humanos, com efeitos in vivo.

Há indícios que a substância pode ajudar a reduzir o crescimento das células cancerosas, ou até mesmo acelerar a sua eliminação e inibir a metástase, quando o câncer se espalha para outras partes do corpo. 

Isso acontece porque os canabinóides demonstram possuir citotoxicidade específica contra as células tumorais, evitando que o tecido saudável sofra apoptose (processo de morte celular programada), impedindo o desenvolvimento da doença.

É menos provável que as células cancerígenas passem pelo processo apoptótico, razão pela qual muitos tratamentos contra o câncer se concentram em incentivar a morte celular. 

Estudos in vitro observaram que o uso de canabinóides após a quimioterapia resultou em maior indução de apoptose, ao passo que ocorreu o oposto quando o esquema de administração foi revertido.

Apesar de terem relatos mencionando o potencial de cura dos produtos à base da Cannabis, ainda não há artigos científicos suficientes para comprovação. Até então, se destaca apenas o efeito do controle dos sintomas e melhora da qualidade de vida. 

Os benefícios do óleo canabidiol no tratamento

Durante o tratamento oncológico, os pacientes passam por uma série de mudanças provocadas pelo uso consistente de fortes medicações. 

Dores e náuseas são alguns exemplos dos efeitos colaterais, que ocasionam em uma qualidade de vida significativamente pior. 

A boa notícia é que o uso do canabidiol pode ser benéfico como complemento ao tratamento devido aos seus efeitos antiinflamatório, antiemético e ansiolítico.

Mulher feliz e comemorando. Imagem ilustrativa texto cbd câncer
Durante o tratamento oncológico, o canabidiol pode ser benéfico para o paciente como complemento terapêutico.

Alívio da dor

Uma das implicações mais debilitantes do câncer é a dor que ele provoca. Seja causada pelo próprio tumor, que faz pressão nos órgãos internos, ou pelos efeitos colaterais dos medicamentos quimioterápicos. 

Quando a dor é intensa, pode até se tornar resistente aos opióides, que são poderosos analgésicos. Isso faz com que o controle da dor seja um dos principais objetivos dos médicos que tratam pessoas com câncer.

Dessa forma, o óleo com canabinóides pode ser uma boa opção, já que ele é capaz de oferecer alívio para dor crônica, incluindo a dor neuropática induzida por quimioterapia medicamentosa. 

Isso ocorre, pois o canabidiol atua indiretamente nos receptores CB2, o que ajuda no alívio generalizado da dor, reduzindo a inflamação.

Além disso, produtos que possuem traços de tetrahidrocanabinol, atuam nos receptores CB1 e podem colaborar para dores resultantes de danos nos nervos.

Assim, ele age da mesma forma que um analgésico e alivia a dor em pacientes com câncer avançado mesmo quando os opióides não são eficazes, com efeitos colaterais mínimos ou nulos.

Náusea e vômitos

As náuseas e vômitos são comuns e regulares para aqueles que enfrentam a luta contra o câncer, especialmente durante a quimioterapia. O tratamento destes sintomas oferece uma melhora significativa na qualidade de vida geral do paciente. 

Neste cenário, os produtos derivados da Cannabis são usados para tratar o alívio tanto das náuseas quanto dos vômitos. Principalmente, devido ao potencial antiemético da planta, com a ação principal de dois canabinóides: o THC e o CBD. 

O THC oferece os efeitos mais significativos. Ele atua nos receptores CB1, como explicamos anteriormente, encontrados na região do encéfalo, responsável por nos fazer sentir enjoo. Ao ativar esses receptores, pode-se inibir as náuseas.

Por sua vez, o CBD, é responsável por aumentar os níveis de anandamida, substância relacionada ao bem estar, ativando os receptores no sistema nervoso.

Assim, um extrato de cannabis de espectro completo com traços de THC (até 0,02%) são indicados para proporcionar maior alívio das náuseas e vômitos. Mas para isso, é sempre necessário consultar um médico especialista para prescrição e ajuste de dosagem. 

Estimulando o apetite

Um apetite saudável é de suma importância para suprir o corpo com os nutrientes necessários para combater a doença. Mas além da náusea, muitas pessoas que estão em tratamento contra o câncer sofrem com a perda de apetite. 

Os produtos à base de cannabis são capazes de ajudar no estímulo do apetite, principalmente aqueles que fornecem tanto o THC, quanto o CBD em sua composição. 

Pesquisas apontam que o canabidiol aumenta a percepção quimiossensorial, o que faz com que os alimentos tenham um sabor melhor, e melhora a ingestão de calorias via proteína. Já o THC tem mostrado melhorias significativas diretamente na sensação de apetite.

Ansiedade e depressão 

O tratamento do câncer, geralmente, causa sofrimento emocional e psicológico ao paciente, o que pode acarretar em crises de ansiedade e depressão durante e após o tratamento. Por isso, conseguir reduzir esses sintomas pode ajudar o corpo no tratamento e recuperação. 

O CBD possui efeitos calmantes e ansiolíticos, demonstrando grande potencial terapêutico no alívio dos sintomas de doenças psiquiátricas, ao promover uma melhora de humor e aumentando os níveis de serotonina no cérebro. 

Ao combinar um estilo de vida saudável e uma rede de apoio de amigos e familiares, o CBD pode ser uma ferramenta poderosa para aumentar a capacidade do corpo de se recuperar de um diagnóstico de câncer. 

Melhora do sono

Os diversos efeitos colaterais do câncer, como a dor e ansiedade, podem dificultar o sono dos pacientes. Nesse caso, ao usar o óleo de CBD como terapia complementar, consequentemente colabora para a melhora do sono. 

Quando a mente consegue se acalmar e a resposta à dor fica entorpecida, é mais fácil ter uma boa noite de sono. Um sono de melhor qualidade ajudará no processo de cura. 

Efeitos colaterais do CBD

Embora uma das principais vantagens dos tratamentos com CBD seja o menor risco de efeitos adversos, eles existem e precisam ser considerados. 

Ao contrário dos medicamentos tradicionais, não existem doses letais de CBD. Isso ocorre, pois o produto fitoterápico não afeta o sistema nervoso central da mesma maneira que os opiáceos.

Mas, apesar de ser incomum, o uso do canabidiol pode causar sim poucos e leves efeitos colaterais, como queda de pressão, tontura, sonolência e boca seca, induzido principalmente por doses altas do produto. 

Além disso, de acordo com o Guia para o uso de Cannabis medicinal no tratamento de cuidado paliativo em pacientes, publicado na Austrália, as principais reações observadas foram causadas pela interação medicamentosa. Assim, os possíveis efeitos colaterais do CBD, quando administrado com outros remédios, podem incluir:

  • Sonolência;
  • Tontura;
  • Astenia; 
  • Cansaço/fadiga;
  • Anemia;
  • Vômito;
  • Confusão;
  • Dor; e
  • Diarreia.

Por isso, antes de iniciar o seu tratamento com o Canabidiol ou outros canabinóides, consulte o seu médico. 

Quais os fatores de risco para desenvolvimento do câncer?

Cada tipo de câncer apresenta seus próprios fatores de risco, o que lhe dá uma chance maior de ter a doença. As causas vão desde agentes internos como, hormônios, condições imunológicas e genética, até externos (comportamentais e ambientais).

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), entre 80% e 90% dos casos de câncer estão associados a fatores externos. Então, conhecê-los é muito importante para reduzir as chances de que a pessoa desenvolva a doença.

Arte ilustrativa sobre os fatores de risco para desenvolvimento do câncer.
Fatores de risco para o câncer

Dicas para reduzir as chances

A prevenção e a detecção precoce são as melhores armas para contenção e cura do câncer.  Segundo o INCA, cerca de um terço dos casos poderiam ser evitados apenas controlando condições determinantes para o surgimento de tumores malignos, impedindo assim que a doença se desenvolva. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda considera que cerca de 40% das mortes por câncer poderiam ser evitadas. 

A prevenção inclui desde a adoção de um modo de vida saudável, até evitar a exposição a substâncias cancerígenas. Confira a seguir as dicas para ajudar com a prevenção da doença:

  • Não fume — os tabagistas são 10 vezes mais susceptíveis a desenvolver algum tipo de tumor, principalmente os de pulmão, cavidade oral, laringe, faringe e esôfago;
  • Mantenha uma alimentação saudável — além de evitar alimentos ultra processados, uma ingestão rica em alimentos de origem vegetal como frutas, legumes, verduras e cereais fornece nutrientes que protegem contra o câncer;
  • Mantenha o peso corporal adequado — manter um peso saudável e evitar a obesidade é uma das formas mais importantes de se proteger da doença;
  • Pratique atividades físicas — os exercícios, seja na academia ou uma simples caminhada na rua, também contribuem para a manutenção do peso corporal saudável e aumenta a imunidade do corpo;
  • Evite a ingestão de bebidas alcoólicas — seu consumo, em qualquer quantidade ou tipo, contribui para o risco de desenvolver câncer;
  • Mulheres devem ficar atenta e realizar os exames preventivos do câncer de mama e do colo do útero;
  • Evite a exposição excessiva ao sol — use sempre protetor solar (FPS 15-30), assim como roupas e acessórios que minimizem os raios solares;
  • Evite exposição a agentes cancerígenos — agentes químicos, físicos e biológicos ou suas combinações são causas bem conhecidas de câncer, principalmente em ambientes relacionados ao trabalho.
Mulher se exercitando ao ar livre. Imagem ilustrativa texto cbd câncer
Praticar atividades físicas contribuem para um corpo saudável e aumenta a imunidade.

Cannabis medicinal como um aliado

Como você já viu, o câncer constitui um grave problema de saúde pública, mesmo sabendo-se que parte dos casos é evitável e muitos podem ser prevenidos. 

Além disso, alguns tumores podem ser detectados precocemente, durante seu desenvolvimento, tratados e curados. Mesmo em pacientes com doença avançada, os sintomas podem ser minimizados, e, tanto os pacientes quanto os seus familiares, podem receber ajuda e cuidados. 

Neste cenário, pesquisas apontam para um futuro promissor em relação ao canabidiol como recurso terapêutico no cuidado de uma das doenças mais desafiadoras e incidentes na população. 

O uso medicinal da Cannabis têm sido evidenciado como adjuvante no tratamento, principalmente na melhora da qualidade de vida. No entanto, ainda há muito para se conhecer a respeito do CBD para o câncer

Por isso, é importante ficar por dentro do assunto, buscando informações verdadeiras e confiáveis. Então, continue acompanhando nosso blog e compartilhe como o CBD no câncer pode ser um grande aliado!