A principal dúvida sobre o uso da cannabis medicinal como alternativa de tratamento é com relação aos efeitos do canabidiol no organismo. A principal delas é sobre o risco de tornar-se dependente da substância.

Sabemos que o risco de dependência é zero, mas, afinal, quais são os efeitos do canabidiol no organismo? Eles são os mesmos em todas as pessoas? Como temos organismos diferentes, é normal que cada um reaja de uma forma ao tratamento com óleo de CBD. 

De acordo com o relatório da Kaya Mind, no Brasil, mais de 50 mil pessoas seguem um tratamento com a cannabis, considerando os dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O artigo de hoje, portanto, vai te mostrar como o CBD afeta o cérebro e o organismo, o porque cada um de nós reage de forma diferente ao medicamento e algumas das possíveis reações que o ser humano pode ter ao fazer uso do medicamento. 

O que é o Canabidiol?

O canabidiol (CBD) é uma substância canabinoide, princípio ativo presente na planta Cannabis Sativa, que atua no Sistema Nervoso Central. Junto com o tetrahidrocanabinol (THC), eles estão presentes em grande parte dos produtos fitoterápicos como matéria-prima. 

Entre seus potenciais reconhecidos estão os efeitos anticonvulsivante, anti-inflamatório, ansiolítico, calmante e neuroprotetor, que auxiliam o melhor funcionamento do nosso sistema imunológico. 

De acordo com estudos científicos, o canabidiol pode ajudar no tratamento de dores, inflamações, problemas neurológicos e psiquiátricos. 

Em outras situações, o CBD também é aplicado para diminuir efeitos colaterais de tratamentos, como as náuseas e vômitos causados pela quimioterapia ou hemodiálise. 

Mas como é possível? Para isso, é preciso entender como o canabidiol age no nosso organismo e seus efeitos no corpo humano. 

Os efeitos do canabidiol no corpo humano

Para entender os efeitos do canabidiol no corpo humano, é preciso saber mais sobre o Sistema Endocanabinoide (SE), um importante aliado na regulação e equilíbrio dos processos fisiológicos do organismo.

Sistema Endocanabinoide

Todo mundo possui o SE natural no corpo. Em cada parte do organismo, o sistema executa funções diferentes, mas sempre com o mesmo propósito: a homeostase. Ou seja, a capacidade do organismo se manter equilibrado e constante por meio das funções e reações químicas. 

Isso quer dizer que ele possibilita a comunicação entre as células, ajuda seu organismo a se manter equilibrado e está envolvido em uma série de processos cognitivos e fisiológicos como apetite, dor, inflamação, energia, qualidade do sono, resposta ao estresse, humor e até memória.

Os três principais componentes do sistema endocanabinoide são: 

  • os receptores canabinoides;
  • os endocanabinoides; e
  • enzimas metabólicas. 

Naturalmente, nosso corpo produz as substâncias endocanabinoides — que são semelhantes às encontradas na Cannabis — para estimular os receptores espalhados pelo corpo e ajudar na homeostase. 

Quando os receptores são estimulados, uma variedade de mecanismos fisiológicos ocorrem.

Esses receptores são componentes essenciais para entendermos a atuação do sistema endocanabinoide. Até o momento, pesquisadores identificaram dois principais receptores canabinoides: 

  • CB1 —  se encontra predominantemente no sistema nervoso, tecido conjuntivo, gônadas, glândulas e órgãos.
  • CB2 — encontrados no sistema imunológico e suas estruturas.
Receptores canabinoides CB1 e CB2 no organismo
Receptores CB1 e CB2 no organismo

Sistema Endocanabinoide e o Canabidiol

Apesar do nosso organismo ser capaz de fabricar seus próprios canabinoides, o Sistema Endocanabinoide pode ser suplementado por fitocanabinoides exógenos, como é o caso do CBD encontrado na Cannabis Sativa. 

O canabidiol age diretamente no SE, atuando como um modulador capaz de regular o nosso organismo, independentemente da causa do desequilíbrio.

Ao ser ingerido, o canabidiol viaja pelo sistema sanguíneo até chegar ao cérebro, onde ocorrem as interações, por meio dos fitocanabinoides com os neurotransmissores compatíveis. 

O CBD, então, estimula os receptores canabinoides presentes nas células do sistema nervoso periférico, sistema imunológico e sistema nervoso central, auxiliando na regulação dos mesmos. 

Embora o canabidiol não se ligue diretamente ao CB1 e CB2, ele aumenta a capacidade de substâncias químicas de ativar os dois receptores.

Além disso, o canabidiol trabalha com os receptores da serotonina, ou 5-HT1A e o receptor vanilóide TRPV-1. Estes dois são responsáveis pelas variações de humor e felicidade.

O CBD também pode melhorar o processo de produção natural dos canabinoides no cérebro, ao impedir a liberação de enzimas que destroem estas estruturas.

Vale lembrar que o canabidiol não estimula nenhum efeito psicoativo. O processo de comunicação entre o CBD e os neurotransmissores é a base da explicação do porquê não ficamos eufóricos e dependentes da substância. 

O que traz esses efeitos ao ser humano é a ação de outro canabinoide: o THC. Ele se liga diretamente ao receptor CB1, ao contrário do que acontece com o canabidiol. Por isso, não está entre os efeitos do canabidiol a perda de:

  • consciência;
  • percepção sensorial;
  • comportamento;
  • tempo de reação.

Efeitos e Benefícios do CBD 

Até aqui, deve ter ficado claro para você que o canabidiol é uma substância capaz de trazer inúmeros benefícios em diversas funções do corpo humano, certo?

De acordo com estudos científicos, ele pode ser usado no tratamento de diversas doenças e sintomas, como epilepsia, dores crônicas de origem oncológica ou neuropática, espasticidade causada pela esclerose múltipla, entre outras. 

Segundo a classificação da Kaya Mind, existem cerca de 27 condições médicas, até então, que podem ser favorecidas pelas diferentes propriedades terapêuticas da planta. Muitos desses impactos ainda estão sendo melhor estudados para que seja possível garantir ainda mais eficácia e a segurança do uso do canabidiol. 

Efeitos e benefícios do canabidiol no corpo humano, e suas respectivas ações no cérebro, estômago, músculos, olhos, coração, intestino e ossos.
Efeitos e benefícios no corpo humano

Agora, vamos entender quais são os principais efeitos e benefícios do CBD no corpo humano que proporciona saúde e bem estar para o indivíduo. Confira: 

Substância anticonvulsivante 

É comprovada a eficácia do Canabidiol para a prevenção de ataques epiléticos e outros tipos de convulsões. 

Sem contar na melhoria da qualidade de vida dos pacientes e os efeitos colaterais que quase não existem em comparação a outros medicamentos anticonvulsivantes. 

A explicação para a boa resposta do canabidiol, segundo pesquisas científicas, é que o controle das convulsões é feito pelo Sistema Endocanabinoide — principal campo de atuação do CBD. 

Funciona como Neuroprotetora

Estudos demonstram que o CBD também apresenta propriedades neuroprotetoras. Por isso, o uso da substância para amenizar os sintomas de doenças neurológicas como Parkinson e Alzheimer são promissores.  

Apesar da doença neurodegenerativa não ter cura, o canabidiol ajuda a controlar os tremores e retardar os sintomas, trazendo maior qualidade de vida ao paciente. 

Ação Anti-inflamatória

As propriedades anti-inflamatórias do CBD valem para diversas condições por todo o corpo, desde inflamações de pele até musculares. 

A eficácia no tratamento de dores crônicas e dores causadas por esclerose múltipla, fibromialgia e câncer, assim como a recuperação pós-exercício, é maior com canabidiol do que medicamentos normalmente utilizados, famosos por seus fortes efeitos colaterais. 

Ansiolítica e antipsicóticos

Estudos têm demonstrado que o uso de canabidiol pode ajudar a reduzir comportamentos relacionados à ansiedade, incluindo doenças como a síndrome do pânico, estresse pós-traumático, ansiedade social, entre outros. 

Além disso, pode auxiliar em problemas com insônia e aumentar a qualidade de vida no dia a dia do paciente. 

Isso ocorre, pois o canabidiol também se liga a receptores de serotonina, que influenciam no humor e felicidade, como já explicado. 

Essa conexão pode ter relação com os efeitos antidepressivos, ansiolíticos e neuroprotetores do CBD, sem as indesejadas reações adversas dos ansiolíticos tradicionais. 

Da mesma forma, estudos sugerem que o canabidiol é capaz de auxiliar pessoas com esquizofrenia e outros transtornos mentais, reduzindo os sintomas psicóticos.

Age como Antitumorais

Já foi comprovado que o uso do CBD em tratamentos paliativos contra câncer ajuda a minimizar os sintomas incômodos da doença, como as dores, náuseas e aumento de apetite — o que dá mais forças ao paciente de seguir com o tratamento. 

Mas para além disso, há pesquisas pré-clínicas (feitas em modelos animais e culturas celulares) que demonstram efeitos antitumorais do canabidiol. No entanto, ainda é preciso explorar a possibilidade em pacientes humanos.

Dessa forma, a substância pode ajudar a reduzir o crescimento das células cancerosas, ou até mesmo acelerar a sua eliminação e inibir a metástase, quando o câncer se espalha para outras partes do corpo.  

Por que as pessoas apresentam efeitos do canabidiol de maneira diferente?

As reações e efeitos do canabidiol variam de pessoa para pessoa. Alguns sentem-se mais relaxados após ingerir o óleo, outros mais acordados e alguns que não sentem nenhuma alteração ao fazer a ingestão.

Porém, de maneira geral, apontam uma melhora na qualidade de vida. Mas, porque isso acontece? O que faz com que o CBD atue de forma diferente em cada organismo? 

Assim como qualquer substância, o nosso organismo processa os componentes do CBD de maneira diferente uns dos outros. Existem vários motivos para isso, entre eles estão:

  • Fatores genéticos: Algumas pessoas produzem maior concentração de endocanabinoides do que outros. Isso influencia no processamento da substância e, por consequência, nos seus efeitos;
  • Gênero biológico: Em geral, as mulheres são mais sensíveis ao CBD do que homens, devido a maior produção de estrogênio no organismo;
  • Estilo de vida: os níveis de sedentarismo ou de atividades físicas também influenciam. Quem pratica mais exercícios, produz mais endocanabinoides;
  • Estado de saúde: Medicamentos e tratamentos podem produzir alterações na saúde bioquímica, o que pode influenciar nas respostas aos endocanabinoides;
  • Percentual de gordura corporal: Quem tem maior índice de massa corporal precisa de doses maiores para sentir os efeitos do canabidiol.
  • Tolerância pessoal: O tempo de uso também é um fator de influência. Geralmente quem usa o CBD regularmente responde de forma diferente àqueles que usam de forma esporádica.

CBD não faz efeito imediato em nosso organismo

Como já explicado, cada organismo reage de forma diferente ao uso do CBD.  Portanto, o tempo para que o tratamento faça efeito é relativo e depende.

Não apenas por causa dos fatores já citados, mas também pelo modo de administração, que vão desde a ingestão, inalação até o uso tópico. Veja abaixo alguns deles:

  • Administração sublingual: Coloca-se o óleo embaixo da língua e deixa entre 60 e 90 segundos. Nesse caso, os efeitos podem começar a serem sentidos até 30 minutos após o uso.
  • Ingestão: Nesse processo mistura-se o óleo a alimentos ou bebidas que serão ingeridas pelo usuário, que retarda o efeito do canabidiol, já que o processo de absorção do organismo será mais demorado. 
  • Uso tópico: Quando o produto à base de CBD é aplicado sobre a pele, eles são absorvidos pelas células que ficam próximas do tecido antes de serem absorvidas pela corrente sanguínea. Além de garantir um efeito mais duradouro, é possível aplicá-lo diretamente onde está a dor ou o problema.
  • Inalação: Inalar, fumar ou vaporizar o óleo de CBD é uma das formas mais rápidas de administração. Isso provoca uma resposta imediata no organismo, que pode gerar efeitos nos minutos seguintes. Mas também são os que desaparecem mais rapidamente e ainda podem causar irritação no sistema respiratório. 

É importante ressaltar que os efeitos terapêuticos são perceptíveis em todas as formas de consumo, desde que você use a dosagem correta. 

Além disso, vale destacar que os efeitos do CBD são nitidamente mais discretos — principalmente se comparado ao THC — e que a ação dos produtos à base de cannabis no organismo se deve apenas enquanto a substância estiver ativa no corpo. 

Efeitos colaterais e contraindicações

Um dos principais pontos positivos dos produtos derivados da cannabis é que os pacientes não costumam apresentar reações adversas. 

Mas, apesar de ser incomum, o uso do CBD pode causar sim poucos e leves efeitos colaterais, como queda de pressão, tontura, sonolência e boca seca, induzido principalmente por doses altas do produto. 

Assim como os efeitos colaterais, as contraindicações ao canabidiol também são poucas, sendo não recomendado para:

  • Gestantes ou mães em amamentação;
  • Pessoas com alergia ao Canabidiol; e
  • Interações com medicamentos que são metabolizados pelo fígado, dependendo da dose.

Por isso, antes de iniciar o seu tratamento com o Canabidiol, fale com seu médico. 

Consulte seu médico sobre o uso do CBD

Você já entendeu o funcionamento do CBD e os motivos que fazem os efeitos do canabidiol serem diferentes em cada pessoa. Chegou a hora de descobrir como ter acesso a esse tipo de produto. 

Vale lembrar que a cannabis medicinal deve ser usada em uma abordagem multidisciplinar para que o paciente tenha o melhor proveito possível. 

Caso você se interesse em adquirir o produto de cannabis no seu tratamento, consulte e converse com seu médico para encontrar a sua dose ideal. 

Gostou do nosso conteúdo sobre os efeitos do canabidiol? Continue acompanhando o nosso blog para ficar por dentro das vantagens do CBD.