Encontrar o equilíbrio entre fitoterapia e dosagem é um desafio, ainda mais tratamento com CBD, principalmente no tratamento com canabidiol (CBD).

Incluída na lista de plantas medicinais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de acordo com a Resolução 156 da diretoria colegiada do órgão em 2007, a Cannabis Sativa já pode ser utilizada com segurança e eficácia no tratamento de diversas condições clínicas.

Inúmeros compostos canabinóides apresentam atributos terapêuticos e, atualmente, muitas descobertas importantes sobre os compostos extraídos da planta têm auxiliado para o entendimento das propriedades terapêuticas desses compostos. 

O canabidiol (CBD) está disponível em várias formas, incluindo óleos, comprimidos e cremes. Mas a dosagem ideal varia dependendo de sua forma e uso, além da indicação individual de cada paciente. 

Para entender melhor, acompanhe o artigo preparado com os pontos mais importantes sobre esse tema. 

O que é Fitoterapia?

Há anos, a fitoterapia vem ganhando as estantes dos brasileiros. De acordo com a Anvisa, o medicamento fitoterápico é um remédio produzido a partir de vegetais ou plantas medicinais com alguma ação terapêutica. 

Hoje essa modalidade de tratamento já é regulada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Esse controle é de extrema valia, uma vez que garante a qualidade e procedência desde a matéria prima até a produção final do produto. 

Infográfico sobre a busca pelos medicamentos fitoterápicos. Texto fitoterapia e dosagem
Os benefícios dos medicamentos fitoterápicos

A busca dos fitoterápicos tem um porquê. Em alguns aspectos, os fitos se sobressaem sobre os remédios alopáticos. Dentre elas, destacamos:

Composição natural

A composição natural dos fitoterápicos é um dos motivos da busca por essa modalidade de tratamentos. 

Muitos de nós estão preocupados em cada vez menos utilizar de substâncias potencialmente danosas à nossa saúde, e os ingredientes naturais estão relacionados a serem menos prejudiciais.

Menos efeitos colaterais

Essas medicações tendem a ser menos agressivas em relação aos demais medicamentos, o que faz com que tenhamos menos efeitos colaterais relacionados ao tratamento.

Menor índice de dependência

Os compostos sintéticos geralmente podem agir de forma mais severa no organismo, modificando a forma natural do funcionamento do corpo. 

Nesse sentido, para indicações em que o uso de remédio é continuado, muitos médicos têm tentado como primeira alternativa os fitoterápicos.

Canabidiol entre os fitoterápicos

Entre os fitoterápicos de maior sucesso, podemos destacar os produtos à base da Cannabis medicinal. 

O canabidiol (CBD), junto com o tetrahidrocanabinol (THC), são os principais canabinoides encontrados na planta e estão presentes em grande parte dos fitoterápicos como matéria-prima vegetal. 

Os produtos feitos a partir dessas substâncias podem ser classificados como fitocomplexos e fitofármacos. 

O conjunto de todas substâncias existentes na planta, que têm ação farmacológica agindo em conjunto, são chamados de fitocomplexos. No caso da Cannabis medicinal, são equiparados com os produtos Full e Broad Spectrum.

Já o fitofármaco é o princípio ativo isolado da planta medicinal, sem passar por qualquer alteração molecular. É o equivalente ao CBD isolado, se tratando dos produtos de Cannabis.

A terapia canabinoide apresenta um uso bem tolerado e poucos efeitos colaterais em comparação aos medicamentos sintéticos. Mas vale lembrar que, apesar de ser um composto natural, ainda assim você deve fazer o uso desses remédios sob prescrição médica. O que traz um novo desafio: Qual o melhor equilíbrio entre fitoterapia e dosagem? 

Como e quando usar o canabidiol?

A medicina canabinoide está a cada dia em voga, uma vez as constantes descobertas científicas com excelentes resultados.

Dessa forma, despeito da origem natural do tratamento, alguns pontos devem ser levados em consideração com a indicação da terapia canabinoide, como a patologia de base e dosagem individual de cada paciente. 

Para encontrar o equilíbrio entre fitoterapia e dosagem, alguns pontos devem ser analisados: Primeiramente, entender qual o problema e a demanda do paciente é de suma importância. Atualmente algumas patologias que temos evidências com tratamento da medicina canabinoide são: 

  • epilepsia;
  • transtornos de ansiedade;
  • burnout;
  • insônia;
  • espasticidade e espasmos musculares;
  • dor crônica;
  • náuseas e vômitos; e
  • doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson.
Infográfico sobre como é feita a dosagem de CBD. Texto fitoterapia e dosagem
O que levar em consideração para a dosagem de CBD

Qual dosagem de CBD devo iniciar? 

Para definir as dosagens, é montado um acompanhamento clínico/laboratorial conhecido como Interações Medicamentosas e Comorbidades. Nele, é analisado o uso habitual do produto pelo paciente, as reações adversas, os efeitos etc. 

As dosagens usadas em ensaios clínicos são variadas, e não existe consenso a priori a ser usada em cada patologia. 

Algumas medicações, como o Epidiolex, droga derivada da cannabis com uso em pacientes com epilepsia, é definida dosagem por peso/dia, iniciando 5mg/kg/dia, titulando a dose até a resposta terapêutica desejada. 

Infográfico sobre indicações de dosagem inicial no tratamento canábico. Texto fitoterapia e dosagem
Dosagens indicadas no tratamento com CBD

A despeito da variabilidade das dosagens, existem faixas terapêuticas comuns entre os ensaios clínicos. Entre eles, destacamos:

  • Transtornos de ansiedade: 150 a 600 mg/dia 1;
  • Insônia e distúrbios do sono: 25 a 50mg/dia 2;
  • Dor crônica e dor em pacientes oncológicos: 50 a 600mg/dia 3

Fatores que causam a variação da dose de CBD

A variação da dose, no tratamento fitoterápico, tem explicações. Primeiro, dependemos da sensibilidade individual ao CBD. Alguns pacientes necessitam de uma menor dose da medicação para que a substância se ligue aos receptores e desencadeia suas funções. 

Dessa forma, iniciar com menores doses e aumentando gradativamente é uma maneira interessante de chegar na melhor dose do tratamento. Essa forma, geralmente conhecida como “step up”, precisa ser explicada ao paciente, uma vez que muitos desejam o efeito imediato.

Sendo assim, sabe-se que o tempo da resposta da terapia fitoterápica é maior, devendo o médico prescritor informar ao paciente, impedindo que o mesmo acredite que a medicação não tenha tido efeito. 

Além disso, outros fatores individuais como peso, taxa metabólica, capacidade de metabolização hepática são fatores que vão influenciar tanto na dose, quanto no tempo de tratamento.

Por fim, o acompanhamento do paciente é de suma importância. Exames seriados podem ser necessários, além do papel primordial da uma abordagem individual e humanizada.

Agora, você já sabe que, apesar de ser considerado fitoterápico, a dosagem dos produtos de Cannabis podem variar conforme as particularidades de cada paciente. 

Gostou do nosso conteúdo sobre fitoterapia e dosagem? Continue acompanhando o nosso blog e redes sociais, e mantenha-se informado.

Referências

1 Blessing EM, Steenkamp MM, Manzanares J, Marmar CR. Cannabidiol as a potential treatment for anxiety disorders. Neurotherapeutics. 2015;12(4):825-836. doi:10.1007/s13311-015-0387-1. 

2 Shannon S, Lewis N, Lee H, Hughes S. Cannabidiol in anxiety and sleep: a large case series. Perm J. 2019;23:18‐041. doi:10.7812/TPP/18-041. 

3 Good, P., Haywood, A., Gogna, G. et al. Oral medicinal cannabinoids to relieve symptom burden in the palliative care of patients with advanced cancer: a double-blind, placebo controlled, randomised clinical trial of efficacy and safety of cannabidiol (CBD).