As variações nos níveis de estrogênio, o hormônio feminino, são responsáveis por desencadear processos naturais no corpo como a menstruação. No entanto, essas alterações também geram efeitos colaterais que podem ser muito incômodos e interferem diretamente na rotina do dia a dia. A oscilação do estrogênio pode causar alterações de humor inesperadas, por exemplo. 

O sistema endocanabinóide, sendo responsável por regular diversas respostas fisiológicas, é um aliado para controlar as reações indesejadas. As sensações de dor e desconforto, assim como as alterações de apetite e humor, podem ser amenizadas equilibrando o sistema endocanabinóide. Existem diversas maneiras de se fazer isso e uma delas é por meio do uso da cannabis medicinal. 

Primeiramente vamos entender como os níveis de estrogênio variam no organismo feminino.

Variação nos níveis de estrogênio 

O ciclo menstrual começa no primeiro dia da menstruação e termina com o início da próxima. Um ciclo completo dura de 24 a 38 dias, podendo variar de um mês para o outro, e a duração do ciclo também muda entre a primeira menstruação e a menopausa. Veja a seguir como a variação dos níveis de estrogênio podem influenciar no dia a dia, usando um ciclo de 28 dias como exemplo.

Todas essas oscilações  de estrogênio e seus sintomas colaterais podem ser amenizados por conta da relação entre o sistema endocanabinóide e este hormônio. 

Como o sistema endocanabinóide está relacionado ao estrogênio? 

Os canabinóides encontrados na cannabis medicinal, como o CBD, THC e CBN (entre outros), se ligam aos canabinóides naturais que pertencem  ao nosso sistema endocanabinóide. 

Tal processo auxilia o regulamento dos níveis de estrogênio da seguinte forma: este hormônio se liga ao sistema endocanabinóide regulando a enzima hidrolase de ácidos graxos, que, então, decompõe certos endocanabinóides. Sendo assim, quando o estrogênio atinge seu nível máximo, o mesmo acontece com os endocanabinóides e vice-versa. 

TPM 

A TPM faz parte da vida da maioria das mulheres, que tentam lidar com seus sintomas das mais diversas maneiras. O uso de medicamentos à base de ibuprofeno para lidar com as cólicas e dores de cabeça é comum, mas pode causar queimação no estômago, náuseas e, em casos de uso em excesso, trombose e aumento na pressão. 

Os canabinóides CBD e THC, presentes na cannabis medicinal, têm efeito analgésico e anti-inflamatório, sendo eficazes no combate da dor. O THC, mais especificamente, também possui ação relaxante muscular que ajuda com as cólicas menstruais. 

As alterações nos níveis de estrogênio durante a TPM também deixam as mulheres com o humor mais deprimido e sensível. O CBD e o THC aumentam os níveis de serotonina no corpo, o hormônio do bem estar, além de estimularem o endocanabinóide anandamida, responsável pela sensação de felicidade. 

Para algumas mulheres, o período pré menstrual também pode desencadear alterações no apetite. O THC já é conhecido por aumentar o apetite e o prazer em comer, mas estudos recentes mostram que o CBD pode funcionar como um supressor do apetite. O canabidiol atua dessa forma ao melhorar a sensibilidade do hipotálamo, a região do nosso cérebro responsável por controlar grande parte das homeostasis, incluindo o apetite. 

Menopausa 

A menopausa é outra fase que também pode ser bem complicada para a mulher, principalmente nos casos de menopausa precoce. Esse período se inicia quando ela já não menstrua há 12 meses, isso acontece pois os ovários não estão mais produzindo estrogênio e progesterona o suficiente. 

O tratamento tradicional para a menopausa é a terapia de reposição hormonal, no entanto, o seu uso traz riscos à saúde da paciente como uma maior propensão a desenvolver coágulos de sangue, câncer de mama e Alzheimer. Algumas mulheres podem também não ser as candidatas ideais para realizar o tratamento caso tenham algum histórico de câncer, por exemplo.  

Dentre os sintomas, as ondas de calor tendem a ser o mais incômodo. Com a falta do estrogênio, o hipotálamo, responsável por regular a temperatura corporal, se desregula e passa a ler um aumento de temperatura do corpo quando não há de fato. O cérebro responde liberando hormônios para ajudar a diminuir o calor do corpo, causando um aumento na frequência cardíaca e no fluxo sanguíneo. Esse processo é o que faz com que o corpo sue para se refrescar. 

As ondas de calor podem ser desencadeadas por uma série de fatores como por exemplo o consumo de bebidas alcoólicas ou cafeína, situações de estresse e ansiedade, e o tabagismo. Estudos recentes mostram que o THC tem a capacidade de reduzir a temperatura corporal, sendo um aliado importante no combate deste sintoma. 

Além disso, a menopausa também pode causar alterações de humor e, pela falta de estrogênio, nessa fase as mulheres se tornam muito mais propensas a desenvolver depressão. Como já mencionamos, o CDB é um estabilizador de humor eficaz e também possui ação antidepressiva. 

Outro sintoma preocupante da menopausa é a perda de densidade óssea. O estrogênio é fundamental para o crescimento e reparo dos ossos, portanto, com a deficiência deste hormônio a mulher se torna mais suscetível a lesões nos ossos, que se tornam mais frágeis. 

Um estudo publicado em 2009 revelou que os nossos receptores endocanabinóides influenciam diretamente a formação óssea. Dessa forma, o tratamento com cannabis medicinal pode reverter a perda óssea e prevenir possíveis doenças como a osteoporose.  

O uso da cannabis medicinal para auxiliar na TPM e na menopausa

Para as mulheres que sofrem com os sintomas da TPM e da menopausa e não sentem que os tratamentos convencionais têm funcionado, ou mesmo sejam uma opção para elas, podem ver na terapia com cannabis medicinal uma alternativa efetiva. 

É importante lembrar que nem a TPM e nem a menopausa são doenças, mas sim processos naturais que o corpo feminino passa devido à alterações hormonais. O que a cannabis medicinal faz é reequilibrar essas alterações, por isso a importância de se utilizar produtos de boa procedência e que seguem as orientações da Anvisa.  

Conte com a Ease Labs, somos especializados na importação de canabidiol, acompanhando os pacientes durante todo o processo. Entre em contato conosco!

Quer acompanhar mais conteúdos como este? Acompanhe as nossas redes socias: Instragam | Facebook, e assine nossa newsletter abaixo!